Voltar para  Futebol  notícias
Dec 9, 2019, 8:24:00 PM

Guia do Mundial de Clubes 2019 - Participantes

No dia 11 de dezembro, começa a 16º edição do Mundial de Clubes 2019, no Catar, e a Sportsbet.io preparou um guia especial, com a história do torneio, suas curiosidades e um pouco sobre cada participantes.

Está chegando a hora e o coração dos torcedores Rubro-Negros está acelerado, esperando a estreia do clube e sonhando com uma possível final contra o Liverpool, mas ainda tem uma semifinal no caminho.


Conheça os participantes:

Al-Hilal (Arábia Saudita)

Fundado em 1957, os sauditas do Al-Hilal irão disputar seu primeiro Mundial de Clubes na história.

15 vezes campeão nacional, é um dos quatro times que disputaram todas edições do campeonato saudita.

Chegou ao torneio após vencer a Liga dos Campeões Asiáticos, vencendo o Urawa Reds nas duas partidas da decisão.

Tem uma ligação especial com os brasileiros, primeiro com a passagem de Roberto Rivelino no final dos anos 70, no começo do campeonato nacional, ajudando no crescimento do esporte no país.

Recentemente, Thiago Neves e Giovanni atuaram com a camisa do clube, que tem uma longa lista de treinadores do Brasil, nomes como Zagallo, Lazaroni, Antônio Lopes, Cerezo e Joel Santana.

Elenco atual

Treinado pelo romeno Razvan Lucescu, desde o meio da temporada, tem jogadores renomados, como o colombiano Gustavo Cuéllar, ex-Flamengo, e a dupla de ataque formada pelo italiano Giovinco e o francês Gomis.

O meia peruano Carrillo é outro nome conhecido do time saudita, que tem muitos recursos financeiros.

Inimigo Íntimo

O Al-Hilal pode encontrar o Flamengo nas semifinais, basta passar pelo Esperánce, da Tunísia, jogo em que é favorito.

E nesta partida, podemos ter o reencontro de Jorge Jesus com seu último clube. Ele deixou o time saudita no começo de 2019, após recusar a renovação de contrato com o time.

O Mister teria dito que sairia em julho, mas de olho na conquista da Champions League da Ásia, o clube preferiu chegar a um acordo e deixar o clube no final de janeiro, na liderança do campeonato nacional.

Seu trabalho teve um início parecido com o do Flamengo, vencendo 13 jogos seguidos e foi sua primeira experiência longe de Portugal.

Cuéllar era um ídolo rubro-negro, pela sua dedicação e técnica, mas teve um fim de relacionamento conturbado, inclusive afastado de uma partida, após um pedido de não atuar para diretoria.

Ainda assim foi peça importante no clube até as quartas de final da Libertadores, disputando a segunda partida contra o Inter, e também é considerado campeão continental e brasileiro.

Ele teve um relacionamento curto e conturbado com Jorge Jesus, que deixou o colombiano muitas vezes no banco de reserva.

Expectativa

O Al-Hilal entra como potencial rival do Flamengo, pois tem bons jogadores e um investimento alto.

Giovinco vivia grande fase na MLS e segue brilhando no futebol saudita, mas a falta de adversários mais fortes pode causar um impacto em um possível confronto com o Flamengo.


O foco é chegar às semifinais e depois tudo que vier será lucro.

Al Sadd (Catar)

O Al Sadd entrou como campeão local e vem de uma semifinal na Liga dos Campeões da Ásia, onde caiu para o Al-Hilal em dois jogos que os visitantes se deram melhor.

Na ida, os sauditas venceram por 4x1 no Catar e o Al Sadd deu o troco jogando fora de casa, 4x2, mas faltou um gol para garantir a classificação. 


Está é a segunda participação do clube na competição. Em 2011, entrou na condição de campeão asiático e foi terceiro colocado, vencendo o Espérance, da Tunísia, nas quartas de final, perdendo para o Barcelona, por 4x0, nas semifinais e derrubando o Kashima Antlers na decisão por pênaltis.

Entre os brasileiros que já atuaram nele, se destacam Emerson Sheik e o craque Romário.


Elenco Atual

O principal destaque do time está no banco de reservas, o craque Xavi, ídolo da seleção espanhola e do Barcelona, que encerrou sua carreira no clube. Ele assumiu o comando em maio desta temporada.

O experiente espanhol Gabi, aos 36 anos, é o jogador mais conhecido do time. Campeão Africano com a Argélia, o atacante Bounedjah é o destaque individual dos cataris.

Expectativa


O Al Sadd é favorito na primeira fase, mas caso se classifique tem jogo duro contra o Monterrey, do México, podendo aproveitar o histórico de tropeços dos representantes da Concacaf e quem sabe disputar uma semifinal contra o poderoso Liverpool, sobretudo por atuar em seu estádio nas duas primeiras partidas.


Espérance (Tunísia)


O Espérance teve uma das classificações mais contestadas da história do Mundial de Clubes, tudo pela polêmica final da Liga dos Campeões da África.

A equipe disputava a final contra o Wydad Casablanca, do Marrocos, e vencia a segunda partida por 1x0, após empate por 1x1 na primeira partida.

No segundo tempo, os marroquinos empataram a partida, em lance anulado pela arbitragem e que deveria ser checado pelo VAR, mas o juiz alegou que o equipamento não estava funcionando e os visitantes abandonaram o jogo após isso. Nos tribunais, o Espérance foi considerado campeão, sua quarta conquista internacional.

Esta é a terceira participação do clube no Mundial de Clubes, nas outras duas oportunidades caiu nas quartas de final.

Em 2011 caiu para o Al Sadd e depois perdeu o quinto lugar para o Monterrey e no ano passado perdeu do Al Ain e venceu o Chivas, do México, nos pênaltis, chegando a quinta colocação.

Caso se classifique contra o Al-Hilal, enfrenta o Flamengo nas semifinais.

Elenco Atual

Treinado pelo jovem Moïn Chaabani, a equipe da Tunísia tem um elenco sem nomes conhecidos para o torcedor brasileiro.

O atacante Khenissi costuma ser convocado para seleção da Tunísia e outros dois destaques são o francês Badri e o argelino Benguit.

Expectativa

O Espérance é a zebra contra o Al-Hilal, pois tem um elenco mais tímido e deve ficar nesta fase, inclusive com chances de ser o sexto colocado, perdendo a decisão posterior.



Flamengo (Brasil)


Hoje o Flamengo está pronto para o Mundial de Clubes e esse formato de acabar a Libertadores e ter pouco tempo para competição ajudou ao Rubro-Negro, que não teve um tempo para perder jogadores ou o embalo do título da Copa Libertadores.

Treinado por Jorge Jesus, o time apresenta um futebol de alto nível e vem cercado de expectativas para quebrar a sequência de seis títulos europeus na competição.


A equipe titular está na ponta da língua do torcedor, e até dos rivais: Diego Alves; Rafinha, Pablo Marí, Rodrigo Caio e Filipe Luís; William Arão, Gérson, Everton Ribeiro; Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabriel

No elenco rubro-negro, Rafinha e William Arão já conquistaram o título, enquanto os outros titulares ainda não disputaram a competição.

O 12º jogador

Apesar de ser cotado para iniciar o Mundial no banco de reservas, Diego Ribas é um jogador que renasceu com a conquista da Libertadores.


Muito questionado pelos torcedores, o camisa 10 foi peça fundamental na virada contra o River Plate, sobretudo pelo passe para um dos gols de Gabriel e sua movimentação e estrela na decisão em Lima.


Fique de olho


Outro Diego tem que ser muito observado, sobretudo se olharmos os títulos brasileiros nos últimos mundiais. Uma defesa sólida e um goleiro em noite inspirada podem definir o título.

Diego Alves vem em sua melhor temporada no clube, fez defesas fundamentais na campanha pela Libertadores e do Brasileirão.


Uma grande atuação do goleiro, e também do sistema defensivo, aproximam o título da camisa rubro-negro.

Artilheiro solitário


Nas últimas três conquistas brasileiras, a vitória foi por 1x0, com um jogador sendo o artilheiro da decisão.
Mineiro pelo São Paulo em 2005, Adriano Gabiru pelo Inter em 2006 e Paolo Guerrero pelo Corinthians em 2012 são os nomes marcados na história.

Gabriel foi decisivo na Copa Libertadores, com dois gols em quatro minutos que demoliram a defesa do River Plate e trouxe a taça para o Rio de Janeiro, mas Bruno Henrique foi o nome em muitos jogos na temporada.

Além disso, o camisa 27 se consagrou por passes açucarados, como o que abriu a defesa do River Plate no primeiro gol em Lima, aos 43 minutos.

Arrascaeta é o outro nome forte e decisivo, mas um herói improvável pode aparecer nesse momento.

Foco nas semifinais

O Flamengo é grande favorito e a final contra o Liverpool é muito esperada, mas as decepções com Inter, Atlético Mineiro e no último ano com o River Plate, deixam o sinal de alerta para não entrar de salto alto contra Esperánce ou Al-Hilal, um passo de cada vez.

Coincidências na temporada

Após 38 anos, o Flamengo disputou uma final de Libertadores no mesmo dia, também em campo neutro e vencendo com dois gols de um mesmo jogador.

Além disso, pode enfrentar o mesmo adversário de 1981, os ingleses do Liverpool, na final. Naquela temporada, a final da Libertadores também foi disputada próxima do início do Mundial, com menos tempo entre os jogos.

Expectativa

O título é esperado pela Nação Rubro-Negra, mas em uma análise clara, o principal objetivo é buscar a vaga na decisão e realizar um bom jogo contra o Liverpool, evitando um placar como o de Barcelona 4 x 0 Santos, fazendo uma partida franca e equilibrada.

Acredito que o Flamengo esteja na final do Mundial, mas a estreia para o time de Jorge Jesus é uma incógnita, pois os rivais não são de nível tão baixo, inclusive o Al-Hilal tem Cuéllar e uma dupla de ataque poderosa, apesar da idade, e conhecida.

Hienghène (Nova Caledônia)

A maior surpresa deste Mundial de clubes, afinal a Nova Caledônia tem pouca expressão até no cenário da Oceania e cravou uma decisão nesta temporada, desbancando os favoritos da Nova Zelândia, que já disputaram a competição por 12 vezes, sobretudo com a ida da Austrália para a Confederação Asiática.


A grande surpresa do continente tinha sido o Hekari, de Papua-Nova Guiné, que disputou a competição em 2010, caindo ainda na primeira fase.

O Hienghène foi fundado em 1997, portanto é um clube jovem, de apenas 22 anos.

Elenco Atual

É um time totalmente desconhecido para o grande público e com jogadores apenas do país. Chegou ao Catar na sexta-feira, 30 de novembro, para ter o período de 11 dias de preparação para estreia.

Os jogadores fizeram história, sendo a primeira equipe da Nova Caledônia a disputar uma competição da FIFA. Leva o nome da cidade, que tem apenas 2500 habitantes e é treinado por um taitiano, Félix Tagawa.

Expectativa


O grande momento da Oceania nos mundiais de clube ocorreu com o Auckland City, da Nova Zelândia, em  2014, quando deu trabalho ao San Lorenzo nas semifinais e terminou com o terceiro lugar ao bater o Cruz Azul do México, nos pênaltis.

Difícil o Hienghène repetir isto, sobretudo pelo elenco com pouca experiência internacional e avaliado em pouco mais de 750 mil dólares.


Liverpool (Inglaterra)

Campeão da Champions League e atual líder da Premier League, o Liverpool chega em meio a diversas decisões.

A equipe busca quebrar um jejum no futebol inglês que dura quase 30 anos e vencer o campeonato nacional, além disso ainda precisa se garantir nas oitavas de final da Premier League, portanto vai chegar ao Mundial em cima da hora.

Jürgen Klopp divulgou a lista para o Mundial com seus principais jogadores e vai deixar o clube sob o comando de um auxiliar na Copa da Liga Inglesa, onde joga um dia antes contra o Aston Villa, pelas quartas de final, e com um time alternativo.

Na lista final, o trio Roberto Firmino, Salah e Sadio Mané está confirmado, com as principais ausências sendo o brasileiro Fabinho e Joel Matip, ambos em recuperação de lesão.

Conjunto e talento

Klopp está no Liverpool desde 2015 e conseguiu seu primeiro título logo na Champions League, após seguidos vice-campeonatos e bons momentos.


A base do time atua junto a algum tempo, sobretudo o trio de ataque, com Firmino, Salah e Mané. Na defesa, tem a força de Virgil van Dijk e do goleiro Alisson.


O foco é a conquista da Premier League e o time vem segurando a liderança até aqui, sem nenhuma derrota na temporada e com boa vantagem sobre o vice-líder.

Boxing Day e decisões no final do ano

Ao contrário dos brasileiros, as equipes europeias costumam ter um calendário mais cheio às vésperas do Mundial de Clubes, sobretudo os ingleses.

Com o Boxing Day, em que temos muitos jogos entre o Natal e Ano-Novo, os times se desgastam muito e essa época costuma deixar muitas definições na tabela.

Além disso, o Liverpool tem decisão pela Champions League na próxima semana, poucos dias antes da estreia e fica difícil prever como o time chega ao mundial.


Título inédito

O Liverpool já conquistou seis vezes a UCL, mas nunca venceu o Mundial de Clubes, em cinco tentativas.

Caiu para o Flamengo, que pode ser novamente o adversário na final, em 1981, perdendo por 3x0, com show de Zico e companhia, e para o São Paulo em 2005, em sua única participação no Mundial de Clubes da Fifa.

Na época, Rogério Ceni fez uma de suas maiores atuações da carreira e parou o forte time de Gerrard, com defesas fantásticas.


Além dessas duas oportunidades, os Reds foram derrotados pelo Independiente em 1984 e abriram mão da disputa em 1978 e 1979.

Ainda que o título do Mundial de Clubes não seja a principal conquista para os europeus, hoje ele tem um significado maior, sobretudo em tempos de globalização e torcidas em todos cantos do mundo.

Portanto a motivação do Liverpool em campo será a maior possível, pois um título vale muito mais do que uma taça no Catar, vale novos adeptos e exposição mundial da marca.

Expectativa

O Liverpool é o principal favorito. Tem um time forte, com muitos destaques individuais, mas pode chegar mais desgastado para o torneio.

Nas semifinais, é o grande favorito, mas pode enfrentar dificuldades em uma possível final com o Flamengo.

O desconhecimento demonstrado pelo treinador e alguns jogadores deve ficar de lado, sobretudo com o bom trabalho realizado por olheiros, que em poucas horas mostram todos pontos positivos e negativos de uma equipe.


Monterrey (México)

O Monterrey vem para seu quarto Mundial de Clubes e tentando levar um time mexicano pela primeira vez até a final.

A equipe disputou a competição seguidamente entre 2011 e 2013, alcançando um terceiro lugar em 2012, quando perdeu para o Chelsea nas semifinais e em 2013, aplicou a maior goleada da competição sobre o Al-Ahly, do Egito, mas ficou apenas em quinto lugar.

Fundado em 1945, Los Rayados tem uma tradição maior continental do que no próprio México, onde conquistou apenas quatro títulos desde sua fundação.


Aguarda o vencedor da primeira fase nas quartas de final e se vencer encontra o Liverpool nas semifinais.

Elenco Atual

Treinado por Antonio Mohamed, o Monterrey tem um elenco caro e com jogadores experientes, como o argentino Meza, que disputou a última Copa do Mundo e foi destaque do Independiente. Outro bom argentino é o atacante Rogelio Funes Mori.

O jovem Carlos Rodríguez e Carlos Pizarro, são mexicanos de potencial no Monterrey.

Expectativa

O México nunca consegue cumprir as expectativas em Mundiais de Clube, com o melhor futebol apresentado sendo o do Necaxa, ainda em 2000, sob o comando do craque equatoriano Aguinaga.

Favoritismo para alcançar as semifinais o Monterrey tem, mas será que conseguem se impor em um possível confronto com os donos da casa? Se vencer as quartas, o único pedido é um jogo bom contra o Liverpool, pois os ingleses são muito favoritos no confronto.


Ainda não está conosco? Registre-se já e comece a se divertir!


Imagens: AP
Texto: Fernando Pereira